Vontade de beber café é comandada por DNA, diz estudo

Gene chamado de PDSS2 é o responsável pela quantidade da bebida consumida

Publicado em 01/09/2016

Já pensou que sua paixão por café pode ser por conta do seu DNA? Isso é o que aponta um estudo feito por universidades italianas e holandesas, que afirmaram que o gene PDSS2, presente no nosso DNA, pode decidir se você gosta da bebida ou não. Os testes concluíram que aqueles que possuíam altos níveis do PDSS2 em seu DNA bebem menos café do que pessoas sem o gene.

Segundos os cientistas, isso pode acontecer graças ao gene realizar uma metabolização mais lenta da cafeína. Isso sugere outra relação com a bebida: quem possui mais PDSS2 no corpo tende a ficar mais acordado e energizado com apenas uma xícara de café, enquanto quem não o tem, precisa de mais doses.

Para chegar a esses resultados, a pesquisa contou com a participação de 1207 italianos e 1731 holandeses, estudando seus DNAs e seus hábitos diários com a cafeína. Concluiu-se que os holandeses bebiam mais café que seus colegas italianos, mas que quem possuía maior concentração de PDSS2 consumia menos da bebida. 

De acordo com o geneticista e autor da pesquisa Nicola Pirastu, da Universidade de Trieste, na Itália, para à revista Time, o objetivo do estudo é tentar entender como o corpo se comporta diante de alguns alimentos. "Café, ao menos em algum nível, nos protege de algumas doenças e talvez nos deixe mais predispostos a outras - é meio controverso", explicou.

Foto: Divulgação