Cientista cria álcool que não dá ressaca e nem prejudica o fígado

Britânico ainda acredita que o alcosynth substituirá o álcool tradicional até 2050

Publicado em 29/09/2016

Entre os malefícios que o álcool causa ao organismo estão os problemas no fígado e no coração, além da ressaca no dia seguinte. Porém, isso parece estar prestes a acabar. O químico David Nutt, afirma ter desenvolvido um álcool que não prejudica os órgãos e nem te deixa mal no dia seguinte. Segundo o cientista, o alcosynth - como é chamada a substância -, combina bem com o gim. 

"Você poderá ter o prazer de tomar um coquetel sem danificar seu fígado e coração. Eles [os compostos] combinam muito bem com mojitos ou com um Tom Collins", afirmou Nutt em entrevista à BBC.

Além disso, ele disse que a invenção também reproduz os benefícios da substância. "A relação entre o álcool e o cérebro já é bem compreendida há 30 anos. Sabemos onde os efeitos positivos do álcool são mediados no cérebro, e podemos imitá-los. Sem tocar as áreas ruins, também não temos os efeitos ruins", afirmou.

Para quem se preocupa em acabar bebendo muito, o cientista explicou que o alcosynth tem um "limite de segurança". "Acreditamos que, depois de quatro ou cinco drinques, o efeito se estabilizará e evitará que alguém se mate ou fique muito enjoado", garante. Nutt ainda acredita que sua descoberta terá substituído o álcool tradicional até 2050.

O engraçado da história é que David Nutt, ex-consultor do governo britânico para assuntos ligados a drogas, foi demitido do cargo após declarar, em 2009, que consumir ecstasy era menos perigoso que andar a cavalo. 

Foto: Divulgação